E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

Terça-feira, 10 de Setembro de 2013

No final da década de oitenta e início da década noventa, Portugal viveu anos de oiro - um dilúvio de fundos comunitários inundava-nos constantemente.

Foi o tempo do alcatrão, do cimento, das grandes obras, do nascimento do BPN e de novos-ricos.

O dinheiro doado e emprestado foi esbanjado sem critério.

Cavaco foi o patrono dos novos-ricos.

Presentemente, Passos Coelho, é totalmente o inverso – o pai dos novos pobres.

A saúde está a ser aniquilada, o ensino é um caos, a segurança social dá ajudas de valor reduzido e em número muito limitado.

O trabalho vê os salários a reduzir e as horas a aumentar.

O desemprego a crescer.

Os aposentados e reformados veem as pensões a ser reduzidas.

Enquanto os trabalhadores e reformados vão vendo os seus contratos a ser desrespeitados, as PPP e grandes empresas veem – nos a ser cumpridos à risca.

O estado social vai sendo diariamente flagelado.

Oh!... “Portugal de Abril”… para onde te estão a levar!...

 

Completando esta nossa apreciação, publicamos seguidamente um texto da autoria do Professor Universitário Paulo Morais, publicado no Correio da Manhã de 10-09-2013.

 

Residente da República

Este regime constitucional está agonizante: a Assembleia da República, sede da democracia, abastardou-se, os governantes mentem todos os dias, o povo tem sede duma justiça que nunca chega. O representante máximo do sistema, Cavaco Silva, já não exerce as suas funções presidenciais.

Ao Parlamento está atribuída a função constitucional de legislar. Mas os deputados entretêm-se apenas a fazer negócios. Várias dezenas acumulam a função parlamentar com a de administrador, diretor ou consultor de grupos económicos que beneficiam de favores do estado. Os restantes pactuam com esta promiscuidade. A Assembleia também não fiscaliza, como lhe competiria, a atividade governativa. Os deputados da maioria apoiam acriticamente as atitudes do governo, os da oposição são cadeias de transmissão das direções partidárias, os grupos parlamentares estão reduzidos à condição de claques. Entretanto, a legislação de maior relevância económica é produzida nas grandes sociedades de advogados. Os seus associados apresentam-se nos tribunais a litigar com base em leis que eles próprios produziram, violando o princípio constitucional da separação de poderes.

O governo, esse, está sem rumo. As medidas mais relevantes deste executivo são contrárias ao que Passos Coelho havia prometido em campanha, rompem o compromisso assumido com o eleitorado. Passos mentiu-nos e é, afinal, um mero seguidor das políticas de José Sócrates: reduz pensões e salários, fustiga cidadãos e empresas com impostos. Continua a beneficiar os bancos, aos quais garante elevada remuneração pela dívida pública e fundos para recapitalização; mantém os privilégios dos especuladores imobiliários, nomeadamente isenções fiscais, a nível de IMI e IMT. Garante taxas de rentabilidade obscenas nas parcerias público-privadas

Entretanto, o sistema judicial claudica. Sem independência e sem meios, revela-se incapaz de combater a corrupção que sequestrou o regime.

Só uma intervenção da Presidência da República poderia agora desencadear um processo de regeneração. Mas o residente de Belém, que jurou a Constituição e é o responsável pelo regular funcionamento das instituições, assiste, imóvel, ao estertor desta democracia moribunda.

Por: Paulo Morais, Professor Universitário  -   Correio da Manhã de 10-09-2013

publicado por 59abc59 às 17:37

De Sunshine a 10 de Setembro de 2013 às 18:24
E que dizer..está tudo dito.

Apenas não vejo alternativas credíveis .

Assisto diariamente à verdadeira pobreza, à pobreza dissimulada, de quem não tem dinheiro para comprar os seus medicamentos, ou que não come as refeições diárias essenciais e emagrece a"olhos vistos", a crianças que sofrem maus tratos por desavenças familiares relacionadas com o Stress diário em que vivem tantas famílias actualmente!! e não antevejo nenhuma alternativa que possa voltar a trazer estabilidade.

De MCN a 14 de Setembro de 2013 às 10:48
Um lado que poucos conhecem.


mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13

15
16

26
28



Últ. comentários
Caros e inesquecíveis amigos, Infelizmente não me ...
M/s caros amigos. Lamento não ter podido estar pre...
Não sei se gosto muito do vídeo, a letra da música...
Obrigada por partilhar este vídeo, gostei muito. C...
Esta iniciativa, é muito interessante, mas mais se...
Dia 28 de Jnho um dia igualmente importante, boa m...
Depois do Benfica ter feito o jogo perfeito em Lon...
Visão enformada pela cor clubista. O jogador que ...
É claro que «há água no bico» dos chineses. Querem...
Esta lenga-lenga do comunicado da autarquia dá von...
MAIL
amorimnuneslopes@sapo.pt

blogs SAPO


Universidade de Aveiro