E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

Sexta-feira, 18 de Fevereiro de 2011

Recordando poetas populares, cuja a sua poesia raramente chega ao nosso conhecimento, vamos hoje publicar uns versos escritos por Eduardo Francisco, mais conhecido por Guarda - Freio, aos quais deu o nome " OS QUE TRABALHAM "

 

OS QUE TRABALHAM

 Estou farto de ouvir

Na rádio e televisão
Propaganda ao trabalho
Que dá lucro à nação.

Dizem para trabalharmos
Com ardor, e sem canseiras
Para ficarmos igualados
Com as nações estrangeiras.

Analisei estatísticas
E nelas, vi afinal

Quais são os trabalhadores
Que temos em Portugal.

A população do país

Com mais ou menos razões
Ela está calculada

Apenas em dez milhões.

As pessoas incapazes
Velhinhos que metem dó
Existem uns três milhões
Sete milhões ... ficam só. 

As crianças da escola

Não trabalham, certamente
São uns quatro milhões

Três milhões ficam somente.

Temos funcionários públicos
Calculados num milhão

Só restam dois milhões
Trabalhando para a nação.

Agentes intermediários
Oitocentos e cinquenta mil
Eles serão postos de parte
Para o trabalho civil.

Fica a restar um milhão ...
Cento e cinquenta mil, tá visto
Mas eu, continuando vou

A fazer o meu registo.

No serviço militar

Duzentos e cinquenta mil se aponta
Esta gente, já se sabe

Para o trabalho não conta.

Resta então para a labuta
Novecentos mil, apenas
Mas destas ainda há

A tirar contas pequenas. 

Doentes e internados

Gente que não vale um ceitil
Vagabundos e malucos
Somam oitocentos mil.

Tirando estes, então

Nós veremos nos totais
Que restam para o trabalho
Só cem mil e nada mais.

Mandriões, polícias e padres
Eu digo muito afoito

São noventa e nove mil
Novecentos e noventa e oito.

Dos cem mil, tirando estes
teremos então, depois

A trabalhar para a nação
De todos, apenas ... dois! ...

E quem serão esses tipos
No trabalho, já se vê? ...
Um deles, serei eu

E o outro ... será você.

Mas como estou cansado
E a energia me falta
Trabalhe você sozinho

Para sustentar essa malta! ...

 

Versos copiados do livro de Fernando Cardoso

Poetas Populares 3º Volume, 5ª Edição

 

Amorim Lopes

publicado por 59abc59 às 12:06

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17

20
21
22
24
25

27
28


Últ. comentários
Caros e inesquecíveis amigos, Infelizmente não me ...
M/s caros amigos. Lamento não ter podido estar pre...
Não sei se gosto muito do vídeo, a letra da música...
Obrigada por partilhar este vídeo, gostei muito. C...
Esta iniciativa, é muito interessante, mas mais se...
Dia 28 de Jnho um dia igualmente importante, boa m...
Depois do Benfica ter feito o jogo perfeito em Lon...
Visão enformada pela cor clubista. O jogador que ...
É claro que «há água no bico» dos chineses. Querem...
Esta lenga-lenga do comunicado da autarquia dá von...
MAIL
amorimnuneslopes@sapo.pt

blogs SAPO


Universidade de Aveiro