E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

Quinta-feira, 01 de Setembro de 2011

 

Estamos na estação do comboio de Alvega/Ortiga, eis que o sol, um pouco envergonhado, começa a querer sorrir, depois de uma noite de intensa chuva.

O lugar

, que nos convida a uma vida de profundo repouso e sossego, vai acordando, da sonolenta

vida em que se encontra diariamente, com a passagem do comboio. Tem agricultura, floresta, instalações ligadas ao Turismo Rural e o Tejo a seus pés, para os apaixonados da pesca. Tem as condições ideais, para carregar baterias, quando se vive nos grandes centros e se tem uma vida, com um quotidiano

bastante intenso e agitado. É um paraíso a descobrir. 

 

Amorim Lopes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por 59abc59 às 12:57

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

14
15
17

18
19
22

27
28
30


Últ. comentários
Caros e inesquecíveis amigos, Infelizmente não me ...
M/s caros amigos. Lamento não ter podido estar pre...
Não sei se gosto muito do vídeo, a letra da música...
Obrigada por partilhar este vídeo, gostei muito. C...
Esta iniciativa, é muito interessante, mas mais se...
Dia 28 de Jnho um dia igualmente importante, boa m...
Depois do Benfica ter feito o jogo perfeito em Lon...
Visão enformada pela cor clubista. O jogador que ...
É claro que «há água no bico» dos chineses. Querem...
Esta lenga-lenga do comunicado da autarquia dá von...
MAIL
amorimnuneslopes@sapo.pt

blogs SAPO


Universidade de Aveiro