E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

Terça-feira, 17 de Abril de 2012

Que o ensino para todos continue a florir, ajudando assim a enfeitar o ramo da democracia.

É com imensa tristeza que, com bastante frequência, ouvimos dizer que estudantes do ensino superior tiveram que abandonar os estudos por questões económicas.

 Há pouco tempo

, na cidade da Guarda, por falta de dinheiro, 150 estudantes tiveram que “fazer as malas” e ir embora. Um caso, que é do nosso conhecimento, é o de um jovem que, depois de trabalhar uma meia dúzia de anos, se matriculou no ensino superior em Lisboa. Pretende continuar a trabalhar e simultaneamente tirar a licenciatura. Até ao momento, não arranjou trabalho e a bolsa de estudo é-lhe recusada. Com muito sacrifício e ajuda de amigos, este primeiro ano, pensa poder consegui-lo ultrapassar. Para o próximo ano, provavelmente o seu sonho cairá por terra.

Lentamente, a nossa democracia vai sendo apunhalada, no que de mais belo, nobre e justo ela nos doou. Aos poucos, o ensino vai acabando para quem quer ser Homem, e abre portas unicamente aos endinheirados.

Aos poucos, a sinfonia democrática, agora dirigida por um maestro neoliberal, que empunhando a “batuta” do resgate financeiro, vai alterando notas, para desvirtuar o que de mais belo esta nos oferece.

Terminamos com um texto que retirámos do jornal Expresso:

Igreja receia ensino superior exclusivo para ricos

Igreja Católica revela conhecer muitos casos de abandono das universidades por motivos exclusivamente financeiros e receia que as instituições se tornem elitistas.

A Igreja Católica receia que a frequência do ensino superior em Portugal se torne exclusiva dos ricos, revelou o padre Nuno Santos, da Pastoral do Ensino Superior, à TSF.

 

Nuno Santos alega conhecer vários casos de abandono das universidades por motivos exclusivamente financeiros. "Alunos com capacidade estão a ser impedidos de estudar por razões exclusivamente económicas. Penso que isso coloca em causa a justiça social e até, em parte, esta dimensão democrática do nosso país", justificou.

 

O padre mostra-se preocupado com a situação económica actual e, especificamente, com as novas regras para a atribuição de bolsas, que poderão discriminar muitos alunos. "Este ano é um ano de viragem para pior e para o próximo ano acho que vai ser o caos a esse nível, porque muita gente não vai sequer arriscar-se matricular-se."

 

O responsável da Pastoral do Ensino Superior mostra-se também consternado com a proibição de acesso às bolsas para estudantes em agregados com dívidas à Segurança Social - o que "põe de lado muitíssima gente" - e diz que as universidades já começam a ser compostas só por elites. "Os próximos anos vão acentuar em muito essa realidade ao ponto de, se não tomarmos [medidas], o Ensino ficar restrito às elites económicas."

Amorim Lopes

publicado por 59abc59 às 15:42

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12

15
18
21

23
26

29
30


Últ. comentários
Caros e inesquecíveis amigos, Infelizmente não me ...
M/s caros amigos. Lamento não ter podido estar pre...
Não sei se gosto muito do vídeo, a letra da música...
Obrigada por partilhar este vídeo, gostei muito. C...
Esta iniciativa, é muito interessante, mas mais se...
Dia 28 de Jnho um dia igualmente importante, boa m...
Depois do Benfica ter feito o jogo perfeito em Lon...
Visão enformada pela cor clubista. O jogador que ...
É claro que «há água no bico» dos chineses. Querem...
Esta lenga-lenga do comunicado da autarquia dá von...
MAIL
amorimnuneslopes@sapo.pt

blogs SAPO


Universidade de Aveiro