E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

Terça-feira, 08 de Abril de 2014

Passados vão 40 anos, do dia em que um grupo de destemidos portugueses realizou, com o apoio da Casa da Imprensa, o I Encontro da Canção Portuguesa – 29 de Março de 1974.

Foi um dia glorioso! Um dia em que o governo de então, antidemocrático, afrontado por gente descontente com o regime, não teve a força e sobretudo coragem, para a conseguir calar.

Noite mágica! Noite em que o não ao regime foi a tónica constante. Noite de luta, onde se cantaram muitos temas, que afrontavam o governa e ajudavam a unir todo um Povo, na luta pela justiça e pela liberdade. Ajudavam a unir todo um Povo, na luta pela vontade de viver em democracia.

Noite de tirania! Noite com censura, policia de choque à entrada, agentes de fiscalização no interior e PIDE disfarçada, para impedir que muitas canções fossem entoadas. Noite, com o Coliseu esgotado, unido no sentimento e na vontade comum, de crer rapidamente se ver livre da vida "tirana" em que vivia.

Noite, em que todos, unidos, cantaram “Grândola Vila Morena”, terminando entoando a frase “O Povo é Quem Mais Ordena”.

Clique nos links:

Carta feita pela Casa da Imprensa em 27 de Março de 1974, dirigida ao Subsecretário de Estado da Informação e Turismo, pedindo autorização para que, José Afonso e Adriano Correia de Oliveira, pudessem cantar.

http://visao.sapo.pt//users/126/12623/2encontro_5002ba526c7567abd954d12b92594506.pdf

Relatório, feito para descrever o que se tinha passado no I Encontro da Canção Portuguesa, realizado no Coliseu dos Recreios em 29 de Março de 1974, escrito pelos agentes de fiscalização José Leitão e Malta Romeiras.

http://visao.sapo.pt//users/126/12623/1encontro_6dd6579083c6c2b5f23c8902dc25559a.pdf

Passaram 40 anos, o Coliseu voltou a encher, mas desta vez livre e com os “arautos da liberdade” a poderem livremente interpretar o que achavam mais adequado.

Passaram 40 anos, o mar da esperança e da liberdade, começa a trazer à costa, infelizmente, ondas de incerteza, abraçadas pela lama do retrocesso, que aos poucos vão sedimentando algumas limitações democráticas.

Unidos e com Abril na alma, por um Portugal livre e justo!  

VÍDEO

Amorim Lopes
publicado por 59abc59 às 19:56

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
19

20
22
23

27
28
30


Últ. comentários
Caros e inesquecíveis amigos, Infelizmente não me ...
M/s caros amigos. Lamento não ter podido estar pre...
Não sei se gosto muito do vídeo, a letra da música...
Obrigada por partilhar este vídeo, gostei muito. C...
Esta iniciativa, é muito interessante, mas mais se...
Dia 28 de Jnho um dia igualmente importante, boa m...
Depois do Benfica ter feito o jogo perfeito em Lon...
Visão enformada pela cor clubista. O jogador que ...
É claro que «há água no bico» dos chineses. Querem...
Esta lenga-lenga do comunicado da autarquia dá von...
MAIL
amorimnuneslopes@sapo.pt

blogs SAPO


Universidade de Aveiro