Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

DÁDIVAS

E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

DÁDIVAS

02
Out13

GNR: Gasta 215 mil € em medalhas

59abc59

Temos constantemente referido que o governo tem injustamente insistido na aplicação da austeridade custe o que custar.

Concordamos que é necessário apertar o cinto, mas de uma forma mais justa, onde ricos remediados e pobres, sofram as penalizações de harmonia com a sua situação económica.

Infelizmente não é isso que se verifica.

A miséria e a fome aumentam a cada dia que passa; A saúde para muitos começa a ser uma miragem; O ensino de qualidade começa a ser só para endinheirados; As ajudas sociais são reduzidas drasticamente e muitas vezes distribuídas de uma forma injusta.

Enquanto avistamos este horizonte negro, também por momentos, vemos um relampejar de injustiças que nos anunciam favorecimentos aos já muito favorecidos bem como, o esbanjar de dinheiro de uma forma desmesuradamente injusta.

Vale a pena ler o texto que retirámos do Correio da Manhã de ontem:

“A GNR vai gastar 215 625 euros para comprar mais de 8700 medalhas, a serem distribuídas pelos militares nos anos de 2014 e 2015. 2500 das medalhas serão de cobre e as restantes de prata. O concurso foi lançado recentemente e fonte oficial da GNR disse ontem ao ‘CM’ que "a atribuição das medalhas é uma forma de mostrar gratidão pelo trabalho exemplar dos militares".

Será que não existem outras formas de reconhecer o trabalho dedicado e exemplar dos trabalhadores?

Pensamos que muitas outras há, que poderão ser utilizadas em alternativa.

Que a justiça, a vergonha e o respeito pela fome e pela miséria que é vivida entre nós, sirva de arma para que não se repitam casos semelhantes.

Começa a chegar a hora, ordeiramente, de todos mostramos, mais uma vez, o descontentamento que nos vai na alma.

Amorim Lopes

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

MAIL

amorimnuneslopes@sapo.pt
Em destaque no SAPO Blogs
pub