Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DÁDIVAS

E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

DÁDIVAS

11
Out13

QUE SERVIÇOS DE FINANÇAS PODERÃO FECHAR?

59abc59

Recentemente, chegou às nossas mãos um mapa, que nos informa o nome dos serviços de finanças que o governo pensa encerrar, que seguidamente publicamos desdobrado em quatro imagens.

Fotos

Ao analisarmos as imagens, elaborámos o quadro que seguidamente publicamos:

Quadro

PERCENTAGEM DOS SERVIÇOS DE FINANÇAS A ENCERRAR POR DISTRITO

 

 

ATÉ 40%

40% A 70%

MAIS 70%

AVEIRO            30%

A. HEROÍSMO   60%

HORTA             71%

BRAGA              5%

C. BRANCO    58%

P. DELGADA  71%

FARO                35%

COIMBRA         52%

BEJA                85%

LEIRIA              17%

SANTARÉM      42%

BRAGANÇA      75%

LISBOA             10%

V. CASTELO    50%

ÉVORA             78%

PORTO               4%

 

GUARDA          71%

SETÚBAL          17%

 

PORTALEGRE  73%

 

 

VILA REAL       78%

 

 

VISEU              70%

 

 

 

Com o que acabámos de publicar, facilmente se conclui que o governo lentamente tenta matar todo o interior.

Agora são os Serviços de Finanças a encerrar; Os tribunais também em idêntica situação se encontram; Na A23, passará a haver pórticos em todas as entradas e saídas, como já acontece nos nós de Torres Novas e Entroncamento Norte.

 Só resta abril as covas e fazer o funeral do tão ambicionado desenvolvimento económico do interior.

Neste momento, o interior é um deserto salpicado de pequenos oásis. Com a implementação das medidas planeadas, Portugal será constituído por uma zona economicamente desenvolvida – toda a faixa litoral. O resto é paisagem.

É com enorme preocupação, que verificamos que em todo o interior, as portas do regresso ao passado começam a ser abertas. No entanto, resta-nos a esperança, que os governos autárquicos, em comunhão com o Povo que eles representam, consigam demover os altos responsáveis a inverter o rumo dos acontecimentos.   

Amorim Lopes

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

MAIL

amorimnuneslopes@sapo.pt