Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DÁDIVAS

E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

DÁDIVAS

15
Fev14

PRECISAMOS DE MERDA SENHOR SOISA

59abc59

O vídeo que apresentamos seguidamente, mostra-nos o ator Víctor de Sousa, a declamar um poema de João Vasconcelos e Sá, poeta alentejano - natural de Évora.

O texto, foi lido pelo próprio num jantar de carnaval, em 1934, dirigido ao Ministro da Agricultura do governo de Salazar - Leovigildo Queimado Franco de Sousa, que se encontrava presente.

As palavras proferidas em 1934, ficam muito bem enquadradas na presente situação que todos nós vivemos.

Diz-se que a crise por nós vivida, é em grande medida, fruto da má governação de Sócrates. Puro engano! Ela já nos aflige à várias décadas – em 1934 já existia, mas vestida com capas diferentes.

O governar mal, já faz parte do "ADN" dos nossos Políticos.

VÍDEO

E X P O S I Ç Ã O

Porque julgamos digna de registo
a nossa exposição, senhor Ministro,
erguemos até vós, humildemente,
uma toada uníssona e plangente
em que evitámos o menor deslize
e em que damos razão da nossa crise.

Senhor: Em vão, esta província inteira,
desmoita, lavra, atalha a sementeira,
suando até à fralda da camisa.
Falta a matéria orgânica precisa
na terra, que é delgada e sempre fraca!
- A matéria, em questão, chama-se caca.

Precisamos de merda, senhor Soisa!...
E nunca precisámos de outra coisa.

Se os membros desse ilustre ministério
querem tomar o nosso caso a sério,
se é nobre o sentimento que os anima,
mandem cagar-nos toda a gente em cima
dos maninhos torrões de cada herdade.
E mijem-nos, também, por caridade!

O senhor Oliveira Salazar
quando tiver vontade de cagar
venha até nós solícito, calado,
busque um terreno que estiver lavrado,
deite as calças abaixo com sossego,
ajeite o cú bem apontado ao rego,
e... como Presidente do Conselho,
queira espremer-se até ficar vermelho!

A Nação confiou-lhe os seus destinos?...
Então, comprima, aperte os intestinos;
se lhe escapar um traque, não se importe,
quem sabe se o cheirá-lo nos dá sorte?
Quantos porão as suas esperanças
n'um traque do Ministro das Finanças?...
E quem vier aflito, sem recursos,
Já não distingue os traques dos discursos.

Não precisa falar! Tenha a certeza
que a nossa maior fonte de riqueza,
desde as grandes herdades às courelas,
provém da merda que juntarmos n'elas.

Precisamos de merda, senhor Soisa!...
E nunca precisámos de outra coisa.

Adubos de potassa?... Cal?... Azote?...
Tragam-nos merda pura, do bispote!
E todos os penicos portugueses
durante, pelo menos uns seis meses,
sobre o montado, sobre a terra campa,
continuamente nos despejem trampa!

Terras alentejanas, terras nuas;
desespero de arados e charruas,
quem as compra ou arrenda ou quem as herda
sente a paixão nostálgica da merda...

Precisamos de merda, senhor Soisa!...
E nunca precisámos de outra coisa.

Ah!... Merda grossa e fina! Merda boa
das inúteis retretes de Lisboa!...
Como é triste saber que todos vós
Andais cagando sem pensar em nós!

Se querem fomentar a agricultura
mandem vir muita gente com soltura.
Nós daremos o trigo em larga escala,
pois até nos faz conta a merda rala.

Venham todas as merdas à vontade,
não faremos questão da qualidade.
Formas normais ou formas esquisitas!
E, desde o cagalhão às caganitas,
desde a pequena poia à grande bosta,
de tudo o que vier, a gente gosta.

Precisamos de merda, senhor Soisa!...
E nunca precisámos de outra coisa.

Amorim Lopes

 

15
Fev14

AS MENTIRAS QUE "EMBEBEDARAM" O POVO

59abc59

VÍDEO

Que belo vídeo, onde se pode ver, a justa mentira a servir de trampolim para se atingir o “pedestal”.

Vale a pena parar por uns momentos, para meditar um pouco no perfil dos políticos que temos.

"A mentira é uma verdade que se esqueceu de acontecer."

"Não há grandeza onde não há verdade."

 

Amorim Lopes

13
Fev14

CHINESES VISITAM MAÇÃO

59abc59

Durante esta semana, um grupo de empresários chineses visitou o concelho de Mação. A visita centralizou-se na zona histórica da vila e na fábrica de presuntos “Pepe”.

Este grupo, que permaneceu em Portugal três dias, estudou possibilidades de negócio nos setores do imobiliário, presuntos e vinhos.

Será que nos negócios das galinhas dos ovos de oiro, os ovos são carimbados?

Toda esta movimentação de chineses em Portugal, para nós, traz “água no bico”.

Segue vídeo com imagens de parte do programa realizado pela TVI.

VÍDEO

Amorim Lopes
12
Fev14

MAÇÃO - NA RTP1 - "PORTUGAL EM DIRECTO" - 11/02/ 2014

59abc59

Da reportagem transmitida pela RTP1 no seu programa “Portugal em Directo”, no dia 11 de Fevereiro de 2014, relativa a Mação e ao seu livro “À Mesa em Mação”, recentemente premiado em França pela Academia Internacional de gastronomia, é o vídeo que seguidamente publicamos.

VÍDEO

Por Mação vale tudo!

Amorim Lopes

07
Fev14

ASSIM SE FAZ PORTUGAL

59abc59

- Cortes nos salários…

- Cortes nas pensões…

- Encerramento dos Tribunais…

- Venda de Obras de Arte…

- E tantas coisas mais…

Só falta a abertura de concurso para concretizar o que nas imagens está anunciado.

Assim se governa tão mal, para matar aos poucos Portugal!...

Amorim Lopes

 

06
Fev14

GOVERNO APROVA ENCERRAMENTO DO TRIBUNAL DE MAÇÃO

59abc59

O Governo, em reunião realizada esta quinta-feira, decidiu aprovar o encerramento do Tribunal Judicial de Mação.

Com esta decisão, Mação fica mais pobre, a população fica mais isolada e o comércio com menos procura. A desertificação do interior continuará a aumentar.

A cada dia que passa, o interior do País fica mais pobre, mais isolado, mais desprezado e economicamente mais débil. A nossa riqueza, é cada vez mais um valioso contributo para o desenvolvimento do litoral.

O Governo do desgoverno, a cada dia que passa, deixa de ser governo para se transformar num vulgar gabinete de economia.

Repudiamos a decisão hoje tomada e juntamos, o nosso grito de revolta, à tomada de posição da Câmara Municipal de Mação.

Está a chegar a hora de o Povo de Mação, com sensatez, começar a abrir os olhos e tomar as decisões que entenda mais adequadas.

Segue tomada de posição da Câmara Municipal:

CÂMARA MUNICIPAL DE MAÇÃO REPUDIA ENCERRAMENTO DO TRIBUNAL


O Presidente da Câmara Municipal de Mação (CMM), Vasco Estrela, em nome desta Autarquia e dos Munícipes do Concelho, lamenta profundamente e manifesta publicamente o seu total repúdio pela decisão do Governo em encerrar o Tribunal Judicial de Mação que, em nada vai contribuir para resolver os problemas do País e, muito menos, aqueles já por demais sentidos no Interior. Uma decisão que se torna ainda mais consternadora pelo facto de a Autarquia se mostrar disponível, desde sempre, para colaborar com o Ministério da Justiça por forma a manter em funcionamento o Tribunal ou, pelo menos, uma secção de proximidade.

Para a Autarquia Maçaense a aprovação do novo mapa judiciário e o consequente encerramento de tribunais em nada contribuirá para a consolidação das contas públicas e será, indiscutivelmente, mais uma forma de acentuar as disparidades entre Interior e Litoral, dificultando a vida a milhares e milhares de pessoas no acesso aos serviços de justiça.

A população do Concelho de Mação, assim como de outros Municípios do País que se encontram na mesma situação, será uma vez mais penalizada pelo encerramento de serviços públicos.
A Autarquia compreende os compromissos assumidos pelo País no sentido de recuperar a sua credibilidade e autonomia face aos outros e acredita que os mesmos podem ser atingidos, sem que as populações e respectivos Municípios tenham de ser sacrificados, como é o caso de Mação. Não é, por conseguinte, aceitável que, com o encerramento do Tribunal, não seja equacionada, pelo menos, a existência de uma secção de proximidade ao serviço dos Munícipes, conforme foi já várias vezes proposto por esta Autarquia ao Governo.

Os critérios apresentados pelo Governo para encerramento dos serviços judiciais não são, para nós, plausíveis e lamentamos profundamente que o mesmo não tenha sido sensível aos nossos argumentos, reiterados diversas vezes, por escrito e nas deliberações dos órgãos autárquicos, assim como em reuniões ocorridas quer com a Sra. Ministra da Justiça, quer com membros do seu Gabinete, sobre este assunto.

A Câmara Municipal de Mação sempre se mostrou disponível e colaborante para, em conjunto com o Governo, encontrar soluções que assegurassem a manutenção, funcionamento e futuro do Tribunal Judicial e dos seus funcionários, tendo envidado diversas diligências não só junto da Sra. Ministra como do Sr. Primeiro-Ministro. Não aceitamos, de todo, o facto de o Governo não ser sensível aos nossos argumentos e à nossa realidade, quando estaríamos até disponíveis a suportar os encargos decorrentes do funcionamento do Tribunal.

A Câmara Municipal de Mação está totalmente solidária com os funcionários judiciais, magistrados, advogados, solicitadores e todos aqueles para quem o Tribunal de Mação é um serviço público indispensável, onde se incluem obviamente os Munícipes deste Concelho. Apelamos, uma vez mais, ao Governo para que os autarcas locais, os verdadeiros conhecedores dos contextos em que vivem, sejam ouvidos nos processos de decisão sobre assuntos tão fundamentais quanto aquele que agora se discute.

De referir que a CMM não deixará de accionar todos os mecanismos legais ao seu dispor por forma a evitar o encerramento do Tribunal de Mação, ficando a decisão final sobre esta matéria sujeita ao desenvolvimento deste infeliz processo e à deliberação dos órgãos desta Autarquia.

05
Fev14

QUANDO O CORAÇÃO FALA E APELA À JUSTIÇA

59abc59

Fausto - "Uns vão bem e outros mal"

Relativamente ao tema que acabámos de publicar cantado por Fausto, vale a pena ver o vídeo que seguidamente também publicamos.

Nele, José Latoeiro, Gerente Comercial em Santarém, apelou ao Eurodeputado Nuno Melo, no programa da SIC “Opinião Pública”, que este, sem demagogia e sem hipocrisia, erga a sua voz e apele ao governo, para que a sua ação governativa seja mais intensamente iluminada pela luz da justiça.

A sua intervenção, repleta de emoção e bastante sentida, foi uma bofetada nos nossos governantes.  

"Uma coisa essencial à justiça que se deve aos outros é fazê-la, prontamente e sem adiamentos; demorá-la é injustiça."

VÍDEO

Amorim Lopes

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

MAIL

amorimnuneslopes@sapo.pt
Em destaque no SAPO Blogs
pub