Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DÁDIVAS

E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

E agora é o acaso quem me guia. Sem esperança, sem um fim, sem uma fé, Sou tudo: mas não sou o que seria Se o mundo fosse bom — como não é!

DÁDIVAS

05
Mai12

O MUNDO SOLIDÁRIO COMEÇA A ACORDAR

59abc59

Temos por diversas vezes apelado para que a nossa vivência diária tenha como guião a bandeira da solidariedade.

Infelizmente,

na justiça há menos justiça, na saúde menos saúde, nos apoios sociais os níveis de ajuda vão diminuindo, nos salários vão- lhe sendo abatidas algumas unidades, nos vários impostos o aumento é rápido e asfixiante.

Tudo se faz com a maior das naturalidades, sem se ser sensível, ao aumento diário dos candidatos à fome e à miséria.

Na outra face da moeda, vemos a banca e muitas outras empresas a apresentarem lucros elevados e os seus altos quadros a terem salários muitas vezes obscenos.

O governo é rápido a penalizar a classe média e baixa, enquanto os grandes senhores a tudo têm direito, menos a apertar o cinto.

No caso das rendas pagas às grandes empresas, os governantes têm medo de fazer justiça.

Também somos da opinião de que quem tem riqueza devia, de livremente, ser mais solidário e não esperar, que o obriguem a sê-lo.

 Contrariamente ao que se passa entre nós, a onda de solidariedade, na América, vai aumentando dia após dia, como pode

 

ser comprovado lendo o pequeno excerto do artigo intitulado – “Milionários solidários”, publicado no Correio da Manhã e escrito por Rui Pereira, Professor Universitário:

“Não quererão os nossos milionários seguir o exemplo dos americanos e doar metade das fortunas?

Quase cem milionários americanos aderiram já à iniciativa de doar metade das fortunas para causas filantrópicas, promovida pelo fundador da Microsoft, Bill Gates, e pelo empresário Warren Buffett. Entre os aderentes contam-se David Rockefeller, Ted Turner e o mayor de Nova Iorque, Michael Bloomberg. Este explicou assim a sua motivação: "Fazer a diferença na vida das pessoas – e vê-lo com os nossos próprios olhos – é talvez a coisa mais gratificante que existe. Desta vida só levamos a lembrança das nossas acções, pois o resto é ornamentação."

 

 

Nós estamos prontos a abraçar tudo o que possa contribuir para a construção de um Mundo mais solidário.

O que podemos e gostaríamos de fazer é muito pouco, é uma pequena gota de água caída num mar que, sem esta e muitas mais, corria o risco de secar.

 

Amorim Lopes

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

MAIL

amorimnuneslopes@sapo.pt
Em destaque no SAPO Blogs
pub